Costa Vilola disposto a lutar para defender os antigos combatentes

Compartilhe

Costa Vilola foi eleito pelo site Jornal da Banda como “Actor do mês” baseando-se em comentários e nos motores de buscas das redes sociais.

Por este motivo, o nosso actor do mês cedeu uma entrevista exclusiva neste site onde aproveitou para tecer alguns desabafos e revelações inéditas.

Pai de 3 filhas, Costa Vilola ficou conhecido pelo seu personagem no programa “Cubico dos Tuneza”, é um jovem dinâmico preocupado com a sociedade.

O actor revelou que quase não tem vida própria desde que passou a fazer parte do grupo, Tuneza passou a ser a sua vida.

“Levo a minha vida muito para o grupo, 80% grupo e 20% vida pessoal, então falar de mim vou falar sempre dos Tuneza porquê todos os diad, todas as horas eu vivo e respiro isso, fora dos tuneza quase não tenho vida” revelou.

Questionado se alguma vez pensou em abandonar o grupo para seguir projectos pessoais a resposta foi simplesmente “Nunca”:

Nunca, a minha vida está muito ligada aos meus colegas, nunca pensei, não me passa pela cabeça a ideia de abandonar o grupo” Declarou o actor.

Apesar das dificuldades que o grupo passou, sempre mantiveram-se mesmo não ganhando como deviam.

“Ainda não ganhamos bem para aquilo que é a dimensão do nosso trabalho, ainda não ganhamos 30% daquilo que devíamos ganhar como Tuneza, ainda somos pobres apesar de famosos, o equilíbrio  económico e emocional que temos é que dá a impressão que ganhamos muito, mas não” Revelou.

GENERAL FOGE A TEMPO:

Este papel interpretado pelo Costa tem conquistado o coração dos telespectadores aos Domingos, por detrás de todo sucesso existe um estudo diário por parte do actor vê-se obrigado a investigar sobre a história de Angola.

“Nunca fui militar, nunca se quer como numa unidade, mas faço sempre o laboratório, tenho o General Furtado um grande amigo meu que tem me passado várias dicas sobre a tropa e também o comandante Pacix da região sul do Cuando Cubango”

E para terminar a entrevista, o actor reiterou o carinho qu tem recebido por parte dos antigos combatentes que o vêm como um grande parceiro estratégico.

“Eu não admito, jamais admitirei e estou disposto nem que for a entregar a minha liberdade por estes mais velhos, mas não vou aceitar que eles continuem a pedir favores, e eu vou usar o meu talento, o meu grupo, este canal de televisão e outros para continuar a lutar ao lado deles, é uma luta positiva, eu não conheço os antigos combatentes por quem eu luto, mas sinto-me muito feliz por ajudar sobre tudo aquela pessoa que não conheço, nunca sofri ameaças nem do Governo e nem de ninguém, aliás nem estou preocupado que alguém me venha ameaçar” Terminou.

Comentários no Facebook
Compartilhe