Concurso público 2018: MED diz que As províncias publicaram resultados de forma errada

Compartilhe

O Ministério da Educação divulgou hoje as razões que fizeram com que alguns candidatos que inicialmente estavam admitidos logo depois veio ao contrario.

Confira aqui a publicação feita na conta oficial do Ministério no facebook :

Processos mal instruídos, sem certificados originais;

Talões de inscrição ou as provas escritas;

Certificados sem os comprovativos da autenticidade pelas instituições que os emitiram (Ensino Médio) e INAAREES (Ensino Superior);

Candidatos com negativas nas pautas finais;

Candidatos com idade superior a 35 anos, sem que, para o efeito, apresentassem justificativos que se conformem ao Decreto Presidencial 137 / 13, de 24 de Setembro;

Candidatos cujos nomes não constavam na lista inicial.
Portanto, estão a ser inseridos todos os candidatos com o processo visado pelo Tribunal de Contas.

Em relação às várias reclamações dos candidatos ao Concurso Público 2018, que estavam inicialmente admitidos e depois apareceram como não admitidos, salienta-se que o Concurso Público rege-se por normas e Leis. Assim sendo, os diplomas que definiam as normas e procedimentos do Concurso Público 2018, regiam que um candidato para se considerar admitido, tinha que ter positiva, numa escala de valor de 10 a 20.

O que ocorreu em algumas províncias foi que no acto da publicação e dos resultados dos testes, ainda não da selecção, as províncias resolveram publicar já os resultados e a selecção e de forma o errada. Por este motivo, criou-se comissões, coordenadas pelos directores nacionais a nível de todo o país, fez-se uma revisão aos testes escritos e se refez as classificações, daí ter resultado como admitidos apenas os candidatos que tiveram positivas.

Infelizmente, 3.176 candidatos com notas positivas não foram admitidos por insuficiência de vagas nas categorias e especialidades em que concorreram.

Neste momento, estão a ser inseridos no Sistema Integrado de Gestão Financeira do Estado (SIGFE), todos os candidatos com o processo visado pelo Tribunal de Contas.

Comentários no Facebook
Compartilhe