Jovens Tomam posse e prometem ressuscitar projectos culturais na Cela

Compartilhe

Os projectos “Ano Família e os Aspectos Sócios Culturais da Cela” e “Jango em Minha Casa” da Associação dos Jovens Amigos da Literatura, AJAL, vão ser reativados, segundo disse o director-geral, da AJAL, André Dianga Fonseca, à margem das actividades que marcaram o relançamento desta associação na província do Kuanza-Sul e no município da Cela, no dia 4 de Maio de 2019.
Tomaram posse André Dianga Fonseca, de 26 anos, director-geral da AJAL, na província do Kuanza-Sul e Abraão Matamba Basto de 20 anos, director-geral adjunto.
“Constituem propostas prioritárias. Vamos dar avanço e vai funcionar uma vez que nos perdemos nas culturas alheias. Pensamos que nada melhor do que resgatar a nossa cultura, os nossos valores, para fazermos frente aos desafios que diariamenrte enfermam a nossa sociedade”, disse, André Fonseca.
De acordo com o jovem dirigente, a fase seguinte para o municipio da Cela, será levar de Luanda para o Waku-kungo o, o projecto Noites Amensa-Vozes dos Heróis Anónimos.
“Acredito que aqui também vai funcionar. Temos muitos heróis desconhecidos, pessoas que com o pouco fazem muito, lutam, influenciam as pessoas, criam iniciativas de trabalho e empregam pessoas, mas que se passam de forma despecebidas”, garante.
Segundo Dianga Fonseca, os problemas da juventude na Cela são vários e, disse, “precisamos moralizá-los muito”.
“Há um perigo, que é o da zona de conforto. Isto leva que as primeiras iniciativas não sejam apoiadas pelos jovens, facto que leva, se a pessoa não tiver forças, a desistir. Mas, nós na AJAL temos provas que não fomos feitos para desistir”, rematou.

Empreendedores reagem à nova fase da juventude da Cela e falam dos problemas
António Ventura é dono da farmácia e centro Médico Deus é Amor. Disse que a sua satisfação justifica-se na medida em que “este reencontro vai juntar mais jovens. Retirar os jovens da dilinquência e aprenderem a pensar alto; é preciso estar associado, caso contrário, há mais probabilidades de a pessoa se perder”.
Segundo o empreendedor , vários são os problemas que enfermam a juventude da Cela: o emprego, falta de formação professional e ausência da demonstração do velor dos jovens na sociedade.
“Ao recebermos do profissionais da Associação treianamento sobre “Como Falar em Público e Gerir Stress”, “Técnicas de Vendas e Marketing”, mostra uma nova dinámica da juventude. Devemos estar actualizados todos os dias porque os conhecimentos também expiram. É preciso nos actualizarmos sempre. Fiquei surpreso na formação sobre a maneira como foi abordada a questão da gestão do stress. Dá-mos diariamente com diferentes tipos de pessoas. É preciso ter este tipo de formação para poder gerir o stress perante a família, os amigos e os clientes”, disse o jovem que tem sobre sua alçada 12 funcionários.
Jersom Quipeca é um empreendedor que actua na área de Vestuário e Hotelaria e Turismo.
Segundo disse, foi uma iniciativa predunte da AJAL em pensar na juventude da Cela, para, mais do que relançar AJAL, ocuparem a juventude durante o dia com 4 temas de actualidade, visando o resgate da autoestima da juventude, bem como doctá-los de tecnicas sobre Oratória, Vendas e Marketing.
“A juventude somos nós mesmo. A formação veio para nos capacitar e despertar mais. Muito se fala e se pensa do Waku-Kungo, mas a juventude é sempre um lado de que pouco se fala e se pensa. AJAL dá-nos hoje o contrário: a formação que nos permitirá dinamizar a Cela, levantar a nossa autoestima, dando-nos a certeza de que existimos e o que fizemos é muito importante para o bem, até do país”, reforça.

O relançamento da AJAL na Cela foi marcado por duas grandes actividades. No período das nove as 13 horas, no Salão Nobre da Aministração, decorreu o acto de relançamento e duas palestras motivacionais, com os temas “Como decobrir o bruxo dos seus sonhos” e “O Poder da Influência”. Os jovens, adolescents, adultos ficaram a saber do princípio da autoresponsabilidade, que passa por compreender, Segundo o prelector do primeiro tema, Camilo Lemos, que todo sucesso e fracasso depende da pessoa que a sofre e que, o somos é o que semeamos.
Os jovens ficaram a saber do orador Nicolau António, que o espaço, a companinha têm grande influência para o sucesso ou estagnação da pessoa.
No período das 14 as 19 horas, no anfiteatro da Bacia Leiteira, foram ministrados treinamentos com os temas “Como Falar em Público e Gerir Stress” e “Técnicas de Vendas e Marketing”,pelos oradores Camilo Lemos e Nicolau António, respectivamente

Comentários no Facebook
Compartilhe