Pacientes enfermos pedem maior dinamismo no atendimento sanitário

Compartilhe

Redação: Ngola Ntuady Kimbanda Nvita

Edição: Matias Daniel

“Já não aguento mais senhor jornalista. Há muita lentidão neste Hospital.”, disse agastadamente à nossa reportagem uma paciente de aproximadamente 26 anos de idade, que preferiu anonimato. 

Pacientes enfermos do Centro Médico de Luanda-Sul, em Viana, mais do que agastados que mostraram ser com a suposta lentidão no atendimento também aproveitaram os microfones do da “banda” para exigirem maior dinamismo no trabalho pois, segundo eles, há uma murosidade enorme.

A título de exemplo, o repórter da “banda” ouviu o clamor da paciente Ana Manuel, que alegou ter aparecido daquele espaço de saúde de Luanda-Sul às 5h por razões de “paludismo”- presumiu ela-, que se mostrou bastante furiosa com a alegada maneira lenta de atendimento. Para a paciente, uma vez trata-se da ” vida humana”, penso- no olhar dela- que o atendimento devia ser rápido e não conforme esse.

” A vida é precioso bem e, portanto, devia ser priorizado”, avançou.

Já os pacientes José e Maria Luamba, que também se queixavam na altur de alegadas “tonturas e vertigens”, foram unânimes em afirmar que naquele espaço de saúde, junto aos quatro campos, nas bandas do município satélite(Viana) regista-se uma autêntica lentidão quanto ao atendimento, situação inexplicável, no olhar crítico daqueles cidadãos enfermos.

“O pessoal sai de casa às 5h e posto cá nada. Não conseguimos entender o porquê desta murosidade, uma vez que há uma classe vasta de médicos no local”, disseram.

Lembrar que a nossa reportagem, na ocasião, tudo fez no sentido de ouvir a lesada parte da peça- Entende-se Centro Médico- mas estes, por sua vez, não quiseram dar quaisquer detalhes aos microfones do do “Jornal da banda” por supostamente carecerem de “ordens máximas”.

Comentários no Facebook
Compartilhe